Inscreva-se em nossa News

Assine colocando seu email logo abaixo.

Presente e futuro no Museu do Amanhã

[ATUALIZADO FEV/2017] O mais novo museu do Rio de Janeiro é o Museu do Amanhã, inaugurado em dezembro/16. O museu é um grande sucesso, com média de 100 mil visitantes por mês.

Passadas as grandes filas dos primeiros meses (cerca de 2 horas! no sol!) e com início da venda de ingresso pela internet resolvi aproveitar o feriado da Semana Santa para conhecê-lo.

A-do-r-e-i!

O Museu do Amanhã é o símbolo da renovação que o Centro da cidade está passando para se preparar para as Olimpíadas Rio 2016.

O museu fica na Praça Mauá, uma tradicional praça carioca, completamente renovada após a demolição do viaduto da Perimetral que passava sob ela. Reformada e linda, com o Museu do Amanhã ali, debruçado na Baía de Guanabara com a Ponte Rio-Niterói e o Cais do Porto completando o cenário.

baia de guanabara e ponte rio niteroi vistos do museu do amanha
Baía de Guanabara e a Ponte Rio-Niterói.

Aliás, do outro lado da Praça Mauá temos o Museu de Arte do Rio (MAR), que fecha com chave de ouro o programa cultural.

museu de arte do rio na praça maua
Museu de Arte do Rio – MAR.

Um pouco sobre a criação do Museu do Amanhã

entrada do museu do amanhã na praça maua no rio de janeiro
A entrada do museu na Praça Mauá.

O projeto do Museu do Amanhã é do arquiteto espanhol Santiago Calatrava.

O museu foi criado com base nos princípios éticos da sustentabilidade e convivência para explorar, através da ciência, o mundo que vivemos e as perspectivas dos próximos 50 anos.

A sustentabilidade está no próprio projeto arquitetônico do Museu do Amanhã com painéis de energia solar que acompanham o movimento do sol e um espelho d’água que faz parte de um sistema de captação de água da Baía de Guanabara para ser usada na refrigeração do museu e depois devolvida ao mar.

espelho d'água do museu do amanha usado para o sistema de refrigeração do museu
O espelho d’água utilizado para a refrigeração do museu, dentro da sustentabilidade.

Veja essa vídeo com um time lapse da construção do Museu do Amanhã:

O museu é deslumbrante! Sua arquitetura tão diferente é uma festa para os olhos e para os fotógrafos.

A Exposição Principal

entrada do museu do amanha no rio de janeiro
Entrada do museu.

A exposição do Museu do Amanhã fica no primeiro andar e aborda 5 áreas que debatem questões e conhecimentos essenciais para compreender o presente e construir o futuro. Cada área visa responder a uma pergunta.

Diferente de um museu de arte – pinturas, esculturas e tudo mais – aqui o acervo é informação. Por isso todas as apresentações são constantemente atualizadas através do Observatório do Amanhã, o radar de informações do museu. A arte está em como tudo é apresentado ao público.

A exposição começa na área Cosmos (de onde viemos?), onde entramos em um globo negro para a apresentação de um filme em 360 graus lindíssimo, que conta a origem do universo, do nosso planeta e do homem moderno. Filme de alta qualidade com produção do diretor Fernando Meirelles.

Saindo dali há vários totens com informações científicas sobre o planeta.

globo negro de apresentação do filme da área cosmos do museu do amanhã no rio de janeiro
O globo negro da Área Cosmos.

Passamos então para a área Terra (quem somos?), composta por três grandes cubos onde entramos para ver uma exposição interativa sobre cultura, fauna, flora e geografia reunidos sob os temas Matéria, Vida e Pensamento.

cubos de exposição do museu do amanha no rio de janeiro
Os cubos.

 

exposição do museu do amanha do rio de janeiro
Detalhe da exposição dentro de um dos cubos.

Após temos a área Antropoceno (onde estamos?), que são totens gigantes com a exibição de um filme com informação sobre o homem e sua influência no planeta. Impressionantes os números que são exibidos, como o homem está esgotando os recursos naturais e modificando o mundo.

exposição antropoceno do museu do amanha no rio de janeiro
Os totens de exibição da área Antropoceno.

Dali temos as áreas Amanhãs (para onde vamos?) e Galeria das Formas, que se complementam. Uma área com várias telas multimídia para pensamos no futuro.

Chegamos então na última área Nós (como queremos ir?), uma espécie de oca moderna, com a única peça física do museu: um churinga. O que é isso? Uma peça aborígene que simboliza a transmissão do conhecimento entre gerações.

oca do museu do amanha no rio de janeiro
Uma oca moderna.

 

churinga do museu do amanha no rio de janeiro
Churinga.

Saindo dessa área há um deque para visão e fotos da Baía de Guanabara e o espelho d’água do museu.

deque panoramico do museu do amanha no rio de janeiro
Veja quantas pessoas lá no deque admirando a paisagem.

Depois de todo esse passeio, a pedida é tomar um café e passear na lojinha no térreo do museu.

Para terminar, deixe o museu pelos fundos, se dirigindo para a área do espelho d’água, onde podemos admirar a beleza do Rio de Janeiro e toda a beleza da arquitetura do museu.

Essa área é gratuita, ou seja, se quiser dar um pulinho lá só para admirar a arquitetura do museu e a paisagem fique à vontade.

museu do amanha visto a partir do parque nos fundos
A vista do museu a partir do parque nos fundos do museu.

Como foi a visita ao Museu do Amanhã?

Já disse que adorei, não é?

O passeio já começa na chegada ao museu, admirando o prédio, a nova Praça Mauá, o MAR e tirando fotos do letreiro #cidadeolimpica.

letreiro #cidadeolimpica na praça maua com o museu do amanha ao fundo
Sempre tem gente tirando foto ali.

As filas para compra do ingresso que atormentavam os visitantes – longas e sob o sol escaldante do Rio – praticamente não existem mais. Na entrada há duas filas, para quem comprou o ingresso pela internet e quem vai comprar na hora. Tudo muito bem orientado e organizado.

Não havia qualquer fila para o ingresso online. Para a compra na hora era uma pequena fila, de 10 ou 15 minutos. Seria mais rápida se houvesse mais atendentes.

Lá dentro, para começar a exposição há uma fila de mais ou menos 30 minutos para entrar na área Cosmos. Tem como pular essa parte da exposição mas não aconselho. Irá perder o melhor do museu. Aguente um pouquinho porque vale muito a pena (apesar do filme ter apenas 8 minutos de duração).

A área dos cubos (Terra) é bem legal, embora o cubo da cultura tenha me dado uma certa angústia, porque passa a sensação de labirinto o modo como estão expostas as informações e os espelhos que compõem o ambiente.

telao dentro do cubo do museu do amanha no rio de janeiro
Detalhe da exposição dentro dos Cubos.

 

vida é inovação do museu do amanhã no rio de janeiro
Um das várias mensagens legais do museu.

A área do totens gigantes com o filme sobre o homem x planeta (Antropoceno) também é muito bacana. Conteúdo e visual interessantíssimos.

As duas últimas áreas não me atraíram muito. Talvez porque estivessem cheias e é preciso interagir com o material multimídia. A oca estilizada com o churinga é interessante pelo visual.

Fora a exposição, passear pelo museu em si e admirar a beleza da arquitetura, cheia de ângulos e recortes inusitados, aliada à beleza natural do local é muito agradável. Passaria horas fazendo isso.

parque do museu do amanha no rio de janeiro
O parque aos fundos do museu.

 

escultura de estrela do espelho d'água do museu do amanhã no rio de janeiro
Escultura que enfeita o espelho d’água.

 

detalhe do prédio do museu do amanha do rio de janeiro
Detalhe da arquitetura do museu.

Enfim, só posso dizer que o Rio ganhou um museu de nível internacional Torço para que se mantenha assim!

——————————-

icon-car.pngKML-LogoFullscreen-LogoQR-code-logoGeoJSON-LogoGeoRSS-Logo
Museu do Amanhã

carregando mapa - por favor aguarde...

Museu do Amanhã -22.895451, -43.180162

  • endereço: Praça Mauá nº 1, Centro, Rio de Janeiro.
  • ingresso: R$ 20,00 adulto, tendo meia-entrada e gratuidade para alunos e professores da rede pública e idosos. R$ 32,00 combo Museu do Amanhã + Museu de Arte do Rio. Venda no local ou online (com dia e horário marcado).
  • como chegar: não há estacionamento no local. A melhor forma é de transporte público ou táxi. De metrô: estação Uruguaiana, saída D (Presidente Vargas) e depois uma caminhada de 10 minutos via Rua do Acre. De ônibus, linhas que passem pela Av. Presidente Vargas, Rio Branco ou Praça Mauá. Há bicicletário.
  • horário: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h.
  • site oficial: http://museudoamanha.org.br/



Compartilhe
        
     
Post Autor
Lulu Freitas
Carioca que ama viajar. Meu lema: "Vivo para viajar. Viajo para viver". Compartilho aqui minhas experiências de viagens pelo mundo, com dicas sobre tudo o que conheci e adorei.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais fotos de minhas viagens

Siga o blog no Instagram, por lá rolam muitas outras fotografias dos lugares mais lindos que já visitei. São fotos de viagens, lugares, roteiros de viagens e dicas com passeios surpreendentes.

Junte-se ao Instagram